XVIII Salão Internacional de Banda Desenhada de Viseu (GICAV 2013)

Um texto da autoria de Luis Beira, Carlos Almeida e José Carlos Francisco que será publicado no próximo número da revista Anim’Art.

 

Ano sim, ano não, fruto das contingências orçamentais e estruturais, realiza-se a festa da banda desenhada em Viseu, pela mão do colectivo GICAV, um projecto sem fins lucrativos e independente . A norte de Lisboa, parece-nos ser este salão presentemente o único evento de envergadura no panorama da divulgação e promoção da nossa banda desenhada. Em parceria com a Expovis e o salão de Moura, o Gicav assume a integração do XVIII Salão internacional de Banda Desenhada na programação da Feira de São Mateus, procurando desta forma alcançar outros públicos e dimensionando o salão ao modelo de exposição bienal.

A compreensão da arte implica o seu usufruto com espírito crítico, numa dialéctica permanente com os agentes criativos. O salão de Viseu insere-se na política de intervenção cultural do Gicav, procurando numa perspectiva de serviço comunitário estabelecer pontes de diálogo entre os criadores e o público amante da BD, dignificando este género artístico tantas vezes mal-amado.

Com uma pré-abertura na noite de 9 de Agosto (sexta-feira), com visita guiada à Comitiva Inaugural da Feira de São Mateus, a 18.ª edição do Salão Internacional de Banda Desenhada de Viseu, foi oficialmente inaugurada na tarde de sábado, 10 de Agosto, e vai estar patente até ao dia 22 de Setembro.

E diga-se já, em boa verdade, que houve muito público a visitar este certame da 9.ª Arte, donde também, “gente famosa” ligada à BD, como os desenhistas Artur Correia, Baptista Mendes, António Guerreiro, João Amaral, Álvaro, Fernando Santos Costa, Miguel Rebelo, Pedro Emanuel e Daniel Almeida (estes quatro últimos são residentes na região), o italiano Andrea Venturi (Editora Bonelli), os editores Maria José Pereira e Geraldes Lino, os coleccionadores António Amaral, Pedro Bouça, António Isidro e Rui Domingues, para além de José Carlos Francisco (representante em Portugal das edições Bonelli). Faltaram algumas celebridades que tiveram a franqueza de justificar as ausências devido à malfadada crise. Esta edição do “Viseu-BD /2013” foi organizada pelo GICAV com apoio direto da Expovis (entidade que regula a famosa Feira de S. Mateus, onde o certame está inserido), com mais algumas colaborações, donde a Inovinter e a Câmara Municipal de Moura, Câmara  Municipal de Viseu, IPDJ, Liga dos Combatentes/Jornal do exército, Papelaria Papiro.

Depois de uma visita guiada conduzida por Carlos Alberto Almeida (director do Salão e Presidente ad Assembleia do GICAV), sucedeu a cerimónia de abertura, com intervenções do Luís Filipe Mendes em representação da Direção,  do Presidente da Expovis, Dr. José Moreira,  da Vereadora da Cultura da C.M. de Viseu e a seguir, Carlos Almeida conduziu o resto da cerimónia. Após uma apresentação genérica dos objetivos e particularidades deste salão, passou a palavra a António Mata que apresentou Geraldes Lino (que então recebeu o Troféu Anim’arte), Luiz Beira que apresentou João Amaral (que também recebeu o Troféu Anim’arte). Carlos Almeida apresentou o artista estrangeiro convidado de honra, o italiano Andrea Venturi, desenhador do TEX.

Por fim, seguiu-se uma bem concorrida sessão de autógrafos por João Amaral, Andrea Venturi, Álvaro, Miguel Rebelo, Pedro Emanuel e Fernando Santos Costa.

Sem apresentar uma temática fechada, o XVIII Salão pretendeU destacar o “Universo dos Fanzines de BD” em Portugal, apresentando exposições e autores/editores representativos deste fenómeno editorial, tantas vezes sobrevivendo à margem dos circuitos comerciais livreiros. Geraldes Lino (crítico, editor, coleccionador) foi um dos anfitriões deste salão (no que aos Fanzines diz respeito) distinguido com o Prémio Animarte BD pelo trabalho incessante na divulgação e promoção dos artistas, muito em particular dos jovens artistas. Apresentou em Viseu um estudo de opinião sobre o mundo dos fanzines em Portugal, uma exposição de fanzines da sua colecção particular e a exposição “Corto Maltese no século XXI”, a partir do Fanzine Efeméride, do qual é editor.

João Amaral, artista multifacetado ligado a Viseu desde longa data, foi distinguido com outro Prémio Animarte BD pelo conjunto da sua obra artística. O salão revelou em exposição individual alguns dos seus trabalhos mais representativos (A Voz dos Deuses; A História de Manteigas; História de Fornos de Algodres; Vidas; O Fim da linha; Cinzas da revolta).

Para além das exposições que derivam da atribuição dos Prémios Animarte BD, outras mostras integraram este salão internacional:

  •  A Obra de Eça de Queiroz na BD (com Moura)
  • Homenagem à obra de Will Wandersteen (“)
  • Humor no Jornal do Exército
  • Homenagem Póstuma a Sergio Bonelli (TEX)
  • Nos 50 anos do Spider Man
  • Grande Plano (sobre alguns álbuns estrangeiros)
  • Jovens Valores (Joana Afonso – “O Baile”; Pedro Emanuel- Viseu; Dani-Viseu)
  • Álvaro
  • Miguel Rebelo (Cartoons)
  • Rui Lacas – Asteroid Fighters
  • Corto Maltese no século XXI (G. Lino)
  • Santos Costa (O Bandarra e outras histórias)
  • Comés- Homenagem póstuma
  • Andrea Venturi (TEX Gigante)

A internacionalização do salão ficou a cargo do José Carlos Francisco (Tex Willer Blog),mais uma vez , no âmbito da apresentação em Viseu de um conjunto de trabalhos originais de artistas de diversos países, em homenagem ao editor italiano do TEX, Sergio Bonelli (falecido recentemente) . Andrea Venturi foi o artista italiano presente no salão, no dia 10 de Agosto.

No decurso do 18º Salão Internacional de Banda Desenhada de Viseu, mais precisamente durante a Tertúlia Texiana realizada ao final do dia 10 de Agosto e que juntou quase 30 pessoas numa alongada mesa num restaurante situado no interior da Feira de São Mateus e que contou, obviamente, com a presença do próprio Andrea Venturi, autor de Tex convidado pela organização do evento, teve ainda nascimento o CLUBE TEX PORTUGAL, uma iniciativa idealizada por Hernâni Portovedo e apadrinhada pelo próprio Venturi.

Trata-se de uma iniciativa destinada aos fãs e coleccionadores de Tex Willer residentes em Portugal e que visa um maior convívio não somente entre os admiradores do Ranger, mas também, entre outras coisas, proporcionar a vinda a Portugal e consequente convívio com autores de Tex que se mostrem disponíveis para se deslocarem ao nosso país, e quiçá  uma publicação destinada em exclusivo aos sócios do oficial CLUBE TEX PORTUGAL, caso a Sergio Bonelli Editore autorize.

Na noite de sábado para domingo ocorreu no espaço do Restaurante /Bar “O Capitão” uma animada Tertúlia, liderada pelo Geraldes Lino, subordinada à temática do “Universo dos Fanzines”, por entre cerca de trinta pranchas do Fanzine “Efeméride – Corto Maltese no século XXI”, a única  exposição deslocada para fora do pavilhão multiusos.

O Gicav e a Expovis agradecem a todos quantos possibilitaram a concretização deste evento em prol da Banda Desenhada.

[hr]

Um texto da autoria de Luis Beira, Carlos Almeida e José Carlos Francisco que será publicado no próximo número da revista Anim’Art.

Written By
More from aCalopsia

Guerras Secretas – Parte 2 – Marvel / Salvat

A milhões de anos-luz da Terra, e forçados a combater pelo derradeiro...
Read More

1 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *