Trigo & Magalhães

Em Outubro de 1982, terminava a revista Tintin portuguesa, que, desde 1968 marcou gerações de leitores. No momento em que a banda desenhada em Portugal fez a transição dos jornais e revistas para os álbuns, destacaram-se as obras da autoria de Augusto Trigo e Jorge Magalhães.

A Moura Cassima, terceiro título da coleção Lendas de Portugal em Banda Desenhada, foi o primeiro álbum distinguido na Amadora com o prémio para o melhor álbum português de banda desenhada, em 1992. Dez anos antes, o Clube Português de Banda Desenhada distinguia os dois autores com o Troféu O Mosquito, reconhecendo Jorge Magalhães como Melhor Argumentista do Ano de 1981, e Augusto Trigo como Revelação do Ano de 1981.

35 anos depois desse 1981 que revelava Trigo, num ano em que Jorge Magalhães completa 40 anos de atividade como argumentista, justifica-se uma exposição de banda desenhada da histórica dupla, na cidade que ainda distinguiria os dois autores com o mais prestigiado prémio da BD portuguesa, o Troféu Honra (Jorge Magalhães em 1999 e Augusto Trigo em 2000).

Jorge Arnaldo Sacadura Cabral de Magalhães nasceu a 22 de Março de 1938, no Porto. Publica os seus primeiros contos no Mundo de Aventuras, em 1959, e n’O Mosquito ( 2ª série). A partir de 1976, começou a sua atividade como argumentista de banda desenhada, no Mundo de Aventuras, com A Lenda de Gaia (com Baptista Mendes). Para além de Trigo e baptista Mendes, tem colaborações em BD com autores como António Carichas, Catherine Labey, José Abrantes, Vítor Peon, Zénnetto, Eugénio Silva, Fernando Bento, José Garcês, Ricardo Cabrita, João Mendonça, Carlos Alberto Santos ou Rui Lacas.

Augusto Fausto Rodrigues Trigo nasceu em Bolama, na antiga Guiné portuguesa, a 17 de Outubro de 1938. Inicia-se na banda desenhada no Mundo de Aventuras (5ª série) em 1980. O seu trabalho surge noutras revistas (Mundo de Aventuras Especial, Tintin, Quadradinhos ( 2ª série), Jornal da BD, Selecções BD) e depois em álbuns pela Editorial Futura, Edições Internacionais, Meribérica/Liber, ou nas Edições Asa (nomeadamente a série das Lendas de Portugal, que vinha sendo publicada no Jornal do Exército), sobretudo com argumentos de Jorge Magalhães.

A exposição, presente na Bedeteca da Amadora a partir de 23 de Junho, parte dos muitos originais que Augusto Trigo doou ao Município da Amadora, e que estão no edifício da Biblioteca Municipal, onde funciona a Bedeteca.

Para além da apreciação da notável técnica individual que distingue cada um dos dois autores, a mostra permitirá abordar a temática do trabalho em colaboração entre argumentista e desenhador, e observar a forma de abordagem a diferentes géneros que se afirmaram na banda desenhada.

Trata-se da primeira colaboração do Clube Português de Banda Desenhada com a Bedeteca da Amadora, permitindo ao município associar-se à celebração do 40.º aniversário do Clube, e permitindo ao Clube concretizar uma apresentação com outras possibilidades ao nível do requinte de forma, susceptíveis até de atrair a malta jovem, como diria o Machado-Dias.

Sobretudo, permite-se à banda desenhada portuguesa reconhecer e homenagear o trabalho em colaboração de dois autores fundamentais na sua história recente.

Written By
More from Pedro Mota

O prémio do Cabetula

Em Angola, no passado dia 10 de Novembro, o Núcleo de Jovens...
Read More

1 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *