Razões para ir ao FIBD Beja: André Oliveira

No final do AmadoraBD 2014 (em que foi premiado como melhor argumentista português), distingui André Oliveira como um dos vencedores do evento, dizendo então que o André é “um dos grandes motores do atual momento da BD portuguesa, desdobrando-se em projetos extraordinariamente diversificados, sempre com a mesma disponibilidade e competência”.

A programação do XI Festival Internacional de Beja confirma isto mesmo.

Às 14h00 de dia 30 de Maio, é a apresentação de “Volta: O Segredo do Vale das Sombras”, colaboração de André Oliveira com o desenhador André Caetano, publicada em livro pela Polvo, e que será motivo de uma exposição.

Meia hora mais tarde, é o lançamento de “Gentleman” n.º 1 (de 4), colaboração com Ricardo Reis, editada pela Ave Rara (a editora de autor de André Oliveira).

Às 15h45, é a vez do lançamento do quarto número de “Living Will”, colaboração com Pedro Serpa, em mais uma edição Ave Rara.

Duas horas mais tarde, é a apresentação de “Casulo”, antologia de curtas de André Oliveira com vários autores, editada pela Kingpin, recolhendo as histórias de duas páginas que têm sido publicadas na revista CAIS e aqui no aCalopsia.

Às 18 horas, André integra os autores em sessões de autógrafos.

Num festival recheado de Andrés, André Oliveira é quase um mini-festival, contribuindo de forma exemplar para a dinamização do panorama da BD portuguesa.

E as coisas não ficarão por aqui em 2015, já que é possível que o AmadoraBD promova uma exposição dedicada ao autor depois do prémio de 2014 (na sequência das exposições centradas na obra de argumentistas que tem vindo a promover com regularidade), estando ainda anunciados para o final do ano novos números de “Gentleman” e “Living Will”, e o “Fado do Assassino” (colaboração com Xico Santos a editar pela Kingpin Books, já anunciado no Anicomics).

André Oliveira nasceu em Lisboa, em 1982. É licenciado em Design de Comunicação pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa. Foi co-editor da antologia Zona, editor de BD da Revista Freestyle, organizador/fundador dos Prémios Profissionais de BD e comissário da Trienal Movimento Desenho 2012, tendo também organizado o evento BD ao Forte. Actualmente, integra o colectivo Lisbon Studio e colabora em diversos projectos.

Dos seus trabalhos anteriores como argumentista de banda desenhada, destacam-se “Hawk”, com Osvaldo Medina e publicado pela Kingpin Books (que lhe valeu o já referido Prémio Nacional de Banda Desenhada para o Melhor Argumentista Português de 2014), “Tiras do Baralho!”, com Pedro Carvalho e publicado pela El Pep, e os três primeiros números da série “Living Will”, com Joana Afonso.

A facilidade com que aborda estilos, colaboradores e editoras diferentes, mantendo um elevado padrão de competência, é absolutamente notável. A sua técnica individual, que tem sido objecto de diversos workshops sobre construção de argumento para banda desenhada, é, certamente um dos motivos de interesse para o público presente no Festival internacional de BD de Beja.

Written By
More from Pedro Mota

O prémio do Cabetula

Em Angola, no passado dia 10 de Novembro, o Núcleo de Jovens...
Read More

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *