Os bastidores das bodas de prata do AmadoraBD

A 25ª edição do AmadoraBD abre as portas no próximo sexta-feira, 24 de Outubro, na terça-feira Nelson Dona, director do festival, acolheu a comunicação social, na companhia de Carla Tavares Presidente da Camâra Municipal da Amadora e do vereador da Cultura e Turismo António Moreira para uma antevisão da celebração das bodas de prata do festival internacional de BD da Amadora.

Nélson Dona, António Moreira, Carla Tavares
Nélson Dona (director do AmadoraBD), António Moreira (vereador da cultura) e Carla Tavares (Presidente da Câmara Municipal)

Esta visita guiada aos bastidores do AmadoraBD substituiu a tradicional conferência de imprensa permitindo visualizar o que virá a ser a 25ª edição do festival internacional de banda desenhada da Amadora, embora o elemento essêncial – os originais – ainda estivesse ausente na maioria das exposições. São o elemento mais frágil e o último a ser colocado.

São 25 anos de investimento municipal na promoção da 9.ª arte que fazem desta um dos elementos mais distintivos da identidade da Amadora e reafirmam a cidade como a capital portuguesa da Banda Desenhada.

Cumprindo um marco importante na maioridade do festival, é nesta reflexão sobre o universo da BD que precisamos apostar, cada vez mais, no reforço da Amadora como a capital da Banda Desenhada durante todo o ano e não apenas durante o festival que decorre durante duas semanas, entre Outubro e Novembro. Carla Tavares, Presidente da Câmara Municipal da Amadora

O investimento da Câmara Municipal da Amadora do festival têm sido um aspecto salientado pela comunicação do festival. É um evento com 25 anos que envolve “toda” a Câmara Municipal, contudo isso não tem implica que o festival não esteja sujeito às limitações orçamentais que são impostas ao munícipios. Apesar desse facto este ano o AmadoraBD tem um orçamento de 510 mil euros, para além de custos indirectos derivados a equipamentos pessoal que não estão directamente ligados ao festival, mas são elemento fundamental para a sua concretização.

Este slideshow necessita de JavaScript.

A imagem do AmadoraBD deste ano é da autoria de Joana Afonso, uma autora que “cresceu” com o festival, tendo também ela 25 anos, sendo a primeira mulher a ilustrar o cartaz do evento.

A exposição central subordinado ao tema “ Galáxia XXI: O Futuro da Banda Desenhada é Agora” a exposição comissariada por Sara Figueiredo Costa e Luis Salvado convida a uma reflexão sobre a BD na sociedade da informação, reúnindo autores de diversos quadrantes alguns dos quais irão estar presentes na Amadora como Boudoin (França), Rafael Coutinho (Brasil), Olaf Ladousse (França), María Gómez (Argentina) , François Ayroles (França) ou Eric Shanower (EUA).

Da “Galáxia XXI”, Baudoin e Shanower são os nomes mais sonante, mas o autor que poderá despertar mais interesse junto do público será o brasileiro Rafael Coutinho, filho de Laerte Coutinho, e o único autor da “Galáxia” que terá direito a uma edição nacional. No dia 1 de Novembro será apresentado o seu álbum “Cachalote”, cuja edição nacional é da responsabilidade da Polvo.

Existem dois aniversários em destaque: os 50 anos de Mafalda e os 75 anos de Batman. A exposição da contestária cinquentona tenta capturar a crítica mordaz de Quino, que continua tão actual hoje como há 50 anos.

Este slideshow necessita de JavaScript.

A exposição colectiva dedicada ao aniversário do Homem-Morcego reúne trabalhos dos mais significativos autores que tem trabalhado nessa personagem icónica da BD, “uma das maiores exposições sobre Batman nos 75 anos, tem peças dos anos 30 até hoje, algumas muito raras.”  São trabalhos que incluem, entre outros, autores como Frank Miller, Neal Adams, Jim Lee, Norm Breyfogle, Ken Steacy, Jim Aparo, Scott Eaton, Bernie Wrightson, Gene Colan, Tonny Castillo ou Ed McGuiness.

25AmadoraBD2014_planta
Planta do Fórum Luis de Camões

Comissariada por João Miguel Lameiras e Lawrence Klein que fundou o Museum of Comic and Cartoon Art (Mocca), em Nova Iorque, em 2001, do qual foi director.  Esta dupla é também responsável pela exposição colectiva dedicada ao Surfista Prateado.

O ano editorial nacional vai estar em destaque numa exposição comissariada por Sara Figueiredo Costa e Luis Salvado, é (nas palavras do director do festival) “uma grande biblioteca que vai ter todo o ano editorial português desde o último festival. Apresenta todos os livros incluindo alguns que não foram nomeados, é uma leitura do comissariado, é uma selecção, uma leitura”. Onde estarão ausentes as edições para as bancas.

A zona comercial é o eixo fulcral entre os dois pisos, localizada na entrada do piso inferior os visitantes poderão encontrar aí os stands dea Devir, Dr. Kartoon, Grupo Babel, Grupo Leya, J-J, Kingpin Books, Livraria Palavras de Culto, Polvo e a “loja” do AmadoraBD.

SuperPig – Roleta Nipónica, escrito por Mário Freitas valeu a Osvaldo Medina o Prémio Nacional de BD 2013: Melhor Desenho de Autor Português, mas na exposição que lhe é dedicas encontram-se também trabalhos de outro álbum do prolifero desenhista como Hawk e Mucha.

Uma caixa negra vazia, foi explicada por Nélson Dona como sendo o local que ia acolher a esposição em 3D dedicada a Jim Curioso. Esta exposição dedicada ao livro de Matthias PicardJim Curioso: Viagem ao Coração do Oceano, editado em Portugal pela Polvo – é uma co-produção com a francesa Édition 2024, sendo o projeto e execução de cenografia de Simon Liberman e Olivier Bron.

A lusofonia vai estar em destaque este ano devido ao prémio de melhor fanzine que o BDLP (Banda Desenhada de Lingua Portuguesa) ganhou em 2013. Esta públicação que nasceu em 2010 no âmbito das pontes que o AmadoraBD tenta criar a nivel da Lusofonia vai ter presente um larga delegação autores, para além do português João Mascarenhas vão estar presentes os angolanos Lindomar Sousa, Olímpio Sousa, Altino Chindele, Nelo Tumbula, Júlio Pinto, Carnot Júnior e Tché Gourgel.

A visita cingiu-se ao núcleo no Forum Luis de Camões, tendo ficado de fora outros locais na cidade da Amadora (e Lisboa) por onde o festival se vai desenrolar. O CBDI que acolhe a exposição “José Ruy, A Arte e o Ofício da BD” uma retrospectiva dos 70 anos de carreira do autor. Na Amadora poderão ainda encontrar-se Roque Gameiro: retorno à Casa da Venteira, na Casa Roque Gameiro; Blanca Rosita Barcelona, na Escola Superior de Teatro e Cinema e AmadoraCartoon 2014, na Galeria Municipal Artur Bual – Casa Aprígio Gomes.

25AmadoraBD2014_o-festival-na-cidade

Em termos de convidados estrangeiros este ano o festival, o destaque vai para a presença de três autores estrangeiros que vêm promover álbuns: JM Ken Niimura (Eu Mato Gigantes), Matthias Picard (Jim Curioso) e Rafael Coutinho (Cachalote) para além dos norte americanos Joe Staton e Tom Grindberg que estão presentes às exposições dos 75 anos de Batman e a colectiva dedicada ao Surfista Prateado.

O festival abre as portas na sexta-feira, 24 de Outubro, às 21 horas. A entrada esta sexta-feira é gratuita.


As fotografias que ilustram este artigos são da autoria de Maria João Miranda.

Tags from the story
, ,
Written By
More from Bruno Campos

Um pequeno balanço de 2017

Terminou um ano que foi pelo menos, aparentemente, um bom ano para...
Read More

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *