Levar um tiro pelo AniComics

Texto: Sara Pereira | Fotografia: Maria João Miranda
[hr] No espectáculo de cosplay que encerrou o AniComics 2014, aberto por um skit de Kill La Kill com direito a repetição (se não existissem imprevistos, nem tinha a mesma piada!), todos os participantes se destacaram, mas há que apontar uma estreia: o polivalente Mário Freitas. Depois de vestir a pele de árbitro num combate aparentemente desigual mas que acabaria por sofrer um revés com a vitória da “besta tecnológica”, um fã acérrimo do guerreiro derrotado, descontente, dá-lhe um tiro. A equipa de Dr. House, que entrou na sala com um rádio em volume máximo “para calar os haters”, ainda o tenta salvar, mas não há nada a fazer e Mário acaba mesmo por morrer.

“The Show must go on”, dizia Freddy Mercury, que esteve no ano passado no AniComics pela mão de Leonor Grácias, e é precisamente Leonor Grácias como Dark Phoenix que enfrenta o vilão Xorn, personagem de X-Men criada por Grant Morrison e Frank Quitely. No entanto como todos os heróis, e vilões, também Xorn é um alter-ego, neste caso de Mário Freitas… ressuscitado, desmascarado, e decidido a acabar com Dark Phoenix. Mário consegue o seu objectivo mas acaba por ser novamente morto por Wolverine.

Apesar das peripécias o espectáculo que, segundo prometia o cartaz, colocou em palco “alguns dos principais cosplayers portugueses”, não perdeu o seu brilho nem o constante bom humor. Seguiu-se aquele que, claro, era um dos momentos mais esperados, com a entrega dos prémios de cosplay.

Actualização: A cena do combate entre o Mega-Krana e o Cactuar

Actualização: Video do Show de Cosplay

Licenciada em jornalismo, passou pelo I, gosta de escrever em blogues e não gosta de escrever sobre si. Entre os seus muitos interesses destacam-se campos tão vastos como a cultura gamer, literatura e aviação.

2 Comments

Deixar uma resposta

Show Buttons
Hide Buttons