Jacques Tardi com Dominique Grange em Portugal

Jacques Tardi em Portugal, com Dominique Grange, para espetáculo “Putain de Guerre” nos Recreios da Amadora e exposição no Amadora BD

Jacques Tardi, considerado um dos mais importantes autores de Banda Desenhada franceses e um dos mais influentes do mundo vem ao Amadora BD. A presença do autor – nomeado para os Prémios Nacionais de BD 2015, com “Foi assim a Guerra das Trincheiras” (Levoir/Público) – acontece no âmbito da exposição “Putain de Guerre! – A Guerra das Trincheiras”, na Bedeteca da Amadora, inaugurada no passado dia 10, e do espetáculo “Putain de Guerre!”, do qual é autor e intérprete, juntamente com a cantora e compositora Dominique Grange. O concerto realiza-se, pela primeira vez em Portugal, nos Recreios da Amadora, sábado, 24 de outubro, às 21h30 e as receitas revertem a favor do Conselho Português para os Refugiados.

“A presença de Jacques Tardi não podia deixar-nos mais satisfeitos. É um autor que não costuma viajar e raramente está presente em festivais, o que faz com que seja algo ainda mais especial. Passados 20 anos, altura em que foi feito o primeiro de alguns convites da nossa parte, Tardi aceitou finalmente vir à Amadora. Neste âmbito, apresentamos a exposição na Bedeteca, e o concerto com o mesmo nome, nos Recreios da Amadora, um espetáculo evocativo da Primeira Guerra Mundial, que de uma forma belíssima nos chama a atenção para as situações de guerra e conflitos mundiais que voltam a estar demasiado presentes nos dias de hoje”, refere refere Nelson Dona, diretor do Amadora BD.

Putain de Guerre! nos Recreios da Amadora

Com autoria e interpretação de Jacques Tardi e Dominique Grange – Tardi nas ilustrações do álbum “Putain de Guerre!” projetadas em palco e na declamação de textos incisivos extraídos do álbum homónimo, feito em parceria com o historiador Jean-Pierre Verney, e Dominique Grange nas canções – o espetáculo conta ainda com a participação dos músicos do grupo ACCORDZÉÂM.

DSC01106

Dominique Grange, tão conhecida pela sua carreira musical como pelo seu ativismo político, esteve bastante presente no Maio de 68 e enveredou pela criação de canções de intervenção, tendo chegado a fazer uma letra sobre o 25 de Abril de 1974 em Portugal. Com uma extensa carreira, lançou diversos álbuns, é autora de alguns livros-CD (um deles “Chansons contre la Guerre”, com ilustrações de Tardi, está representado na exposição da Bedeteca da Amadora), participou em peças de teatro, trabalhou em televisão e traduz álbuns de Banda Desenhada.

fumettoday07-042_800x343

“1914 – 1918: 10 milhões de mortos, 19 milhões de feridos, 10 milhões de mutilados, 9 milhões de órfãos, 1h30 duma rara intensidade. Dominique Grange e Tardi, com os seus músicos, impulsionam-nos para um passado tão doloroso e tão próximo: vidas desfeitas pela guerra, o horror quotidiano, sofrimentos incalculáveis nas trincheiras. Os desenhos projetados numa grande tela, os textos e as músicas convidam o público a mergulhar numa poderosa evocação ao “Der des Ders ” (expressão francesa que se refere à «Dernière des dernières (guerres)», uma vez que a Grande Guerra era vista pela população e pelos combatentes como a Guerra que acabaria com todas as guerras).

 

Os bilhetes para o concerto custam 10,00€ comprados antecipadamente e 12,00€ no próprio dia e podem ser comprados nos Recreios da Amadora e na Ticketline. Informações: 214369055.

No âmbito da comemoração do centenário da Primeira Guerra Mundial, a Câmara Municipal da Amadora apresenta, neste momento, uma programação em torno desta temática, onde se inserem: a exposição “Portugal e a Grande Guerra” que pode ser visitada na Academia Militar até 11 de novembro (que contém, entre outras, parte de um núcleo dedicado às Artes durante a Guerra), a exposição Artistas Portugueses na Grande Guerra, na Galeria dos Paços do Concelho, também até 11 de novembro.

O Amadora BD junta-se a esta programação com a exposição de Jacques Tardi, “Putain de Guerre – A Guerra das Trincheiras” e de Stuart Carvalhais “Quim e Manecas vão à Guerra”, na Bedeteca da Amadora, até 8 de novembro. Todas estas exposições são de entrada gratuita.

Informação adicional: Jacques Tardi em Portugal, com Dominique Grange  e facebook.com/amadorabd.

Written By
More from Bruno Campos

Fernando Relvas na Primeira Pessoa

O falecimento de um autor não significa o desaparecimento das suas ideias...
Read More

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *