A Primeira Edição do Festival Bang!

O Festival Bang! ocupa uma zona muita própria no panorama dos eventos nacionais dedicados à ficção de especulação e fantástico.

No dia 28 de Outubro o Pavilhão Carlos Lopes recebeu o primeiro Festival Bang!. Organizado pela editora Saída de Emergência, ofereceu aos visitantes um programa curto mas abrangente, com sessões de autógrafos, apresentações editoriais, exposições e atividades asseguradas por entidades parceiras neste evento.

Festival Bang!
Exposição Os Labirintos de Terror de Edgar Allan Poe.

Festival Bang!: Novo Ponto de Encontro dos Fãs

Não pareceu bom augúrio chegar a uma entrada do Pavilhão Carlos Lopes e vê-la quase vazia. Estaria a primeira edição do Festival Bang! condenada ao fracasso? Ou teria chegado demasiado cedo e o grosso dos visitantes ainda estaria para vir? Entrar dentro do espaço do festival dissipou as dúvidas. Não havia multidões, mas sentiu-se que os fãs do fantástico aderiram bem a esta nova iniciativa no panorama das culturas de género em Portugal.

Começa-se a sentir um crescendo em tendência de massa crítica de eventos ligados ao Fantástico nas suas diferentes vertentes. Se há poucos anos pouco mais havia do que o Amadora BD, com uma ligação muito ténue (se sequer existente) ao Fantástico, ou o Fórum Fantástico, agora multiplicam-se iniciativas a bom ritmo. Das mais assumidamente comerciais, como o Iberanime e a Comic-Con, às associativas, caso do Fórum Fantástico, Spring It e do Sci-Fi Lx. Não há aqui uma pretensão a listar todos os eventos, encontros, tertúlias e festivais. Certamente que muitos ficariam de fora. O que interessa salientar é a progressiva disponibilidade de eventos que reúnem as comunidades de fãs, combatendo a dispersão e o isolamento, trazendo as comunidades online para espaços físicos.

O Festival Bang! ocupa uma zona muita própria neste panorama, onde já esteve o extinto Anicomics. Não é um evento generalista, e está inextricavelmente ligado a uma editora. Algo que pode causar alguns arrepios aos fãs mais puristas, mas que também faz falta. Diversidade é o que se quer, e a promoção da editora abre aqui mais um espaço à comunidade.

Festival Bang!
Zona associados do Festival Bang!

Um Festival Focalizado na Saída de Emergência

Analisado friamente, o programa parece algo pobre, sem a quantidade de sessões, workshops e painéis a que outros eventos nos habituaram. Seria injusto considerar isso. É o alinhamento que faz sentido num evento desta dimensão, ligado à identidade de uma editora que criou o seu nicho no panorama editorial nacional. Ao longo da tarde, os visitantes puderam visitar a exposição de ilustrações Os Labirintos de Terror de Edgar Allan Poe, assistir à apresentação do catálogo Bang!, edição mais recente da revista Bang!, e performance da Associação de Cosplay. Houve sessões de autógrafos com Anne Bishop, escritora do alinhamento editorial da Saída de Emergência convidada para o festival, e com os ilustradores do livro Os Melhores Contos de Edgar Allan Poe. A apresentação dedicada aos Moonspell contou com um concerto acústico. Diria que o alinhamento de atividades foi perfeitamente adequado a este evento.

O festival não se esgotava em sessões de apresentação e autógrafos. Noutros espaços do Pavilhão Carlos Lopes estavam outros grupos a partilhar o que fazem com as suas bancas e a assegurar mais pontos de interesse para os visitantes. Alguns são os suspeitos do costume, como o Sci-Fi Lx, a Liga Steampunk de Lisboa e o grupo de Boardgamers de Lisboa. Nestes espaços, os visitantes podiam ver o trabalho dos steampunkers, trocar impressões e tirar fotografias com cosplayers, experimentar jogos em mesas orientadas pelos Boardgamers de Lisboa, e deliciar-se com as criações do projeto Handmade Sci-Fi. A novidade foi uma associação de modelistas, que expôs as suas intricadas criações enquanto mostrava ao vivo o processo de pintura e acabamento das miniaturas e modelos.

A um festival ligado a uma editora não podia faltar banca de livros e, obviamente, a Saída de Emergência assegurava essa parte. Aproveitando o evento, tinha disponível boa parte do seu catálogo com descontos e preços reduzidos. A editora, recentemente, deu os primeiros passos na edição de banda desenhada com Nimona de Noelle Stevenson e Monstress, escrito por Marjorie Liu e ilustrado com o traço espantoso de Sana Takeda. Surpreendeu não ter encontrado esta edição na oferta livreira. Como bónus para os visitantes, o preço do bilhete de entrada no evento tinha desconto imediato em igual valor na compra de livros. Deu para reforçar a biblioteca sem grandes danos na conta bancária. Mas quem não adquirisse livros não saiu do festival de mãos a abanar. Aos visitantes foi oferecido um goody bag com um livro, marcadores e crachats, e o número mais recente da revista Bang!.

Festival Bang!
Skit da Associação de Cosplay.

A primeira edição do Festival Bang! surpreendeu e convenceu. Necessariamente focado nas atividades de uma editora específica, a Saída de Emergência, que apesar de não esquecer a Ficção Científica encontrou na Fantasia o nicho de mercado que lhe permite sobreviver. Apesar deste foco, não deixa de abrir espaço a outras organizações, o que lhe enriquece a iniciativa. Para os fãs, o importante é sentir que contam com mais um ponto de encontro, mais um evento no panorama da cultura Fantástica em Portugal. Atrever-nos-emos a dizer até para o ano?

Written By
More from Artur Coelho

SINtra, de Tiago Cruz e Inês Garcia

Sob a cobertura da noite, seres amaldiçoados percorrem o arvoredo em busca...
Read More

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *