Desconstrução visual de Snowpiercer revela segredo do Comboio.

Snowpiercer encontra-se em exibição nos cinemas nacionais com o inexplicável subtítulo de “O Comboio do Amanhã”.

O filme de Bong Joon-Ho é desconstruído visualmente por Nerdwriter  explorando algumas das metáforas visuais que já tinham por aqui sido abordadas pelo Pedro Moura.

Aviso: convém só verem o vídeo depois de terem visto o filme, já que os elementos principais do filme são todos revelados na análise.

Já agora, para quem tiver interesse, no site io9 existe uma entrevista com o realizador, onde ele aborda algumas da metáforas visuais utilizadas.

Written By
More from Bruno Campos

Um pequeno balanço de 2017

Terminou um ano que foi pelo menos, aparentemente, um bom ano para...
Read More

2 Comments

  • Olá. Obrigado pelo “ping” (?) e pelo vídeo em si. Apesar de ser uma análise relativamente simples (e muito, muito influenciada precisamente pelo citado Zizek), ela é certeira. Apenas apontaria que o título do post é algo enganador, já que não há propriamente uma “desconstrução visual” (isso levaria a outras paragens), mas uma boa análise formal, e que não se revela nenhum “segredo”, já que a crítica ideológica é bastante clara… Picuíces.
    Abraço,
    Pedro Moura

    • Os Pingbacks/trackbacks são uma funcionalidade que notifica (e mostra) ligações internas de outros sites ou textos para uma artigo, é uma maneira do autor (e leitores) terem conhecimentos de artigos semelhantes que ligam para um em causa.

      É porreiro para se seguir uma “discussão” e notícias relacionados, só é pena não receber de alguns sites.

      Eu por vezes gosto de escrever títulos à Bleeding Cool, mas a “desconstrução visual” é uma referência à excelente montagem do video, que tem uma escolha criteriosa de elementos chave do filme que ilustram na perfeição os argumentos apresentados.

      É uma análise simples, que ganha outra força pela montagem executada, tem um bom poder de síntese.

      Eu não diria que “a crítica ideológica é bastante clara”, a temática é clara: a mobilidade social e as estruturas de poder da sociedade, agora não e existe uma defesa de uma ideologia no filme nem sequer é apontada uma solução para os problemas do “comboio”.

      A solução que os protagonista encontram para “o seu” problema, não resolve mais nenhum problema do que os seus e, cria novos problemas. No fundo é tão egoísta como a ordem pré-existente.

      Se a solução fosse transposta para o mundo real, para o comboio onde vamos implicaria o abdicar de tudo, até do comboio (planeta) e de todas as estruturas existentes por algo que no fim é um retrocesso civilizacional que continua baseado no egoísmo de alguns.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *