Descansa em Paz Estrompa – actualizado

Por informação que obtive há umas horas, através do sr. Soares, cunhado dele, soube que o Estrompa faleceu na 6ª feira, dia 18 de Julho, pelas 19h00.

Ainda não está fixada a hora e o local do velório, pormenor que acrescentarei aqui, assim que souber.

Geraldes Lino no blogue Divulgando BD.


Actualização

O corpo de Estrompa encontra-se no Instituto de Medicina Legal de onde saí amanhã, 3ª feira dia 22 de Julho, para a Igreja de Arroios, onde será realizado o velório a partir das 18h00.

O funeral será na quarta-feira, 23 de Julho, no Cemitério do Alto de S. João, no crematório, às 14h00 no crematório.

O Lino indica que haverá uma missa na quarta-feira, às 13H15 na Igreja de Arroios.

FIBDA05-ESTROMPA E LUIS LOURO
Estrompa e Luis Louro, AmadoraBD 2005, foto de Machado-Dias

Desculpem lá, mas não sou bom a escrever obituários… e esta é daquelas notícias que não me apetecia escrever, por agora fica só o apontamento, depois eu escrevo um texto decente.

Como para alguns o nome do Estrompa fica aqui a biografia (escrita por Geraldes Lino) que consta no site do autor, mantido pela filha, podem encontrar no site outras informações sobre o autor.

José João Amaral Estrompa nasceu em Lisboa, em mil novecentos e quarenta e dois (mas parece ter a idade do Tornado, desde que rapou a barba).

Frequentou a Escola António Arroio, sem ter concluído o respectivo curso. A sua área profissional foi sempre a Publicidade e Artes Gráficas.

Nas revistas Tintin, Pão com Manteiga, DN Semanal, Mosquito (5ª série) e Selecções BD (1ª série) publicou cartoons e bedês cómicas, de uma página, com animais de características antropomórficas – Pink (um gato) e Smaile (um cão que tem um gato amigo chamado Smool).

Mas a sua maior produção é mesmo nos fanzines, com destaque óbvio para os numerosos episódios da sua série de referência, o Tornado 1989 – este já com duas merecidas promoções: ao fazer dez anos de existência (1999) teve publicação na revista Selecções BD (2ª série), surgindo posteriormente em álbum editado pela Bedeteca de Lisboa.

Foi de igual modo nos fanzines que, embora de forma esporádica, Estrompa fez viver a comportamentalmente subversiva Família Darling.

Nesta biografia não é mencionado o facto de ter sido mentor da tertúlia Shock, e editor dos fanzines Shock e Café No Park, por passaram, João Fazenda, Jorge Coelho, Rui Lacas, Pepedelrey e outros “putos”.

Tags from the story
, ,
Written By
More from Bruno Campos

AmadoraBD: Sérgio Godinho é relevante?

Eu sei que a resposta é evidente, mas existiu alguém que se...
Read More

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *