Comic Con Portugal 2014: o Balanço da organização

A organização da Comic Con Portugal divulgou em comunicado o seu balanço primeira edição do evento, salientando que a “Comic Con Portugal excede expectivas. [A] primeira edição do mega evento superou os 30 mil visitantes, confirmando o sucesso da iniciativa, que promete continuar a crescer.”

Para além de se congratular pelo sucesso do evento, a organização também reconhece a existência de “arestas a limar”. Como podem verificar no comunicado.

 

A primeira edição da Comic Con Portugal, que decorreu nos dias 5, 6 e 7 de dezembro, na EXPONOR, em Matosinhos, ultrapassou todas as previsões da organização. Ao invés dos 20 mil visitantes esperados, foram cerca de 32 500 os que passaram pelo recinto daquele que se assume como o maior evento de cultura pop do país. Este número, bastante superior ao que havia sido prognosticado, comprova o enorme sucesso da iniciativa, cuja realização está prevista até, pelo menos, 2018. Em altura de avaliações, o balanço é extremamente positivo, considerando que este é o primeiro evento do género em solo nacional.

O feedback recebido indicou uma esmagadora aprovação, quer por parte dos parceiros, quer por parte do público, que destaca a atmosfera e o ambiente vivenciados como um dos pontos fortes do evento.

Existem, claro, algumas arestas para limar, bem como estratégias a afinar para as próximas edições, mas a base da Comic Con Portugal está criada. A marca está implementada, pelo que todos os progressos doravante alcançados irão reforçar o posicionamento da mesma, permitindo-lhe progredir de forma sólida. Espera-se um crescimento sustentado, alicerçado no sucesso do primeiro evento, bem como na constante interação com o público.

 

COMIC CON PORTUGAL EM NÚMEROS

  • Dias 5, 6 e 7 dezembro, EXPONOR, Matosinhos
  • 35 mil metros quadrados
  • 32 500 visitantes
  • 107 conteúdos em auditórios (entre painéis, workshops e exibições)
  • 350 voluntários

 

Entretanto, aproveito para deixar umas opiniões/esclarecimentos de José Hartivg de Freitas, realizados numa das diversas conversas sobre o evento no Facebook. Apesar de não ser membro da organização, é “editor” da Levoir e G-Floy, Hartivg de Freitas tem estado presente presente na maioria dos eventos relacionados com BD em Portugal, tendo também conhecimentos da realidade em outros países, para além de ter sido um dos organizadores do BD Fórum, quando era editor da Devir, em parceria com a Sodilivros e VitaminaBD.

Os comentários abordam a questão das comparações que podem ser realizadas entre este evento e outros que se existem na Exponor, em particular a nível da zona de restauração e transportes, duas das áreas com “arestas para limar”.

Creio que o padrão de visitantes do Comic Con foi muito diferente do normal da Exponor. Tive uma longa conversa no Domingo com o pessoal de uma das cafetarias (concessionárias lá na Exponor) e basicamente disseram.me que se tratava de público muito jovem, que ficava no evento TODO o dia, não tinha dinheiro para ir comer fora, ou guardava o dinheiro TODO para gastar lá – muitos eventos não são de venda no local – e que ficavam mesmo na fila até comer. Pelos vistos nos outros eventos o público deve ser mais velho, não fica o dia todo, e só usa as cafetarias mesmo para café ou bolo, não para “almoçar” porque na maioria dos casos não planeia ficar lá o dia todo. Confessaram-me que tinha sido apanhados de surpresa.

Quanto aos transportes públicos: houve pessoas que se queixaram, outras que não. Não faço ideia se a organização contactou os STCP para um reforço, e espero que o faça para o ano, mas devemos ter em conta que não depende da organização, serão os STCP a tomar a decisão.

Eu também preferia que fosse em Lisboa, mas prefiro que seja no Porto do que não haja! E se a empresa que organiza tem parceria e relação já com a Exponor, e se é lá que decidiu organizar, bem, só resta a alguém cá de Lisboa organizar algo do mesmo género num local de cá. E na verdade, confesso que não achei complicado ir até lá: eu acabei por ir de táxi do hotel onde estava, mas tenho amigos que foram de carro, e o estacionamento da Exponor é muito barato, na ordem dos 3€ para toda a tarde e noite. Confesso que não entendo as queixas… já fiz filas em eventos em Lisboa, não sei porque alguém acha que sendo no Porto não podia ter filas!

Aproveito para relembrar que Hartvig de Freitas foi um expositores que participou no Balanço da CCPT realizado pelo aCalopsia, que incluí depoimentos de autores e expositores. Entretanto a edição de 2015 da Comic Con Portugal já consta do calendário das feiras que vão acontecer na Exponor no próximo ano, pelo que podem marcar na agenda: Comic Con Portugal de 4 a 6 de Dezembro de 2015.

Tags from the story
, ,
Written By
More from Bruno Campos

Fernando Relvas na Primeira Pessoa

O falecimento de um autor não significa o desaparecimento das suas ideias...
Read More

1 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *