A transmutação dos fanzines por Teresa Câmara Pestana

se calhar são os próprios fanzines que estão a mudar,porque com a possibilidade de editar melhor quantidades mínimas há quem sonhe que faz revistas com tiragem de 150 exemplares e não se lembra de lhes chamar fanzines

Andava eu aqui a pesquisar outras coisas quando me deparei com este comentário da Teresa Câmara Pestana, editora do fanzine Gambuzine.  Algo que remete para um artigo que publiquei em outro lado

Autor, editor, procrastinador profissional e irresponsável mor.

2 Comments

  1. E a menina tem razão.

    A culpa foi de quem inventou o “neologismo” Prozine, um senhor que perde muito tempo a criar “projectos artísticos”, mas fazer BD é uma de 20 em 20 anos.

    Lá porque se tem ISBN e outras tretas não deixa de ser fanzine. O Geraldes que o diga.

Deixar uma resposta

Show Buttons
Hide Buttons