Células Estaminais de Borla com o Público

As células estaminais são células indiferenciadas, o que significa que não possuem a especialização funcional que caracteriza as células adultas de um organismo vivo, apresentando a capacidade de poderem gerar os diversos tipos celulares que constituem um organismo.

As células estaminais reproduzem-se por um processo de divisão contínua, durante longos períodos de tempo, ou seja, indefinidamente. A estas duas características, recentemente foi acrescentada a plasticidade. Através de trabalhos experimentais provou-se que as células estaminais podem ser manipuladas em laboratório sem perderem as capacidades funcionais.
Na quinta-feira,  dia 5 de Dezembro, será distribuído com o jornal PÚBLICO um livro duplo de divulgação científica sobre células estaminais. O livro é duplo porque de um lado temos investigação científica e do ouro a banda desenhada, que é o que motiva a sua divulgação neste espaço.

Este livro é um Projeto COMPETE/QREN/Ciência Viva, organizado pelo Centro de Neurociências e Biologia Celular da Universidade de Coimbra, local onde João Ramalho-Santos, que poderá ser mais conhecido por ser crítico de BD, realiza investigação científica.

O livro contém crónicas de vários investigadores, ilustradas por Fernando Correia, e “Uma Aventura Estaminal”, que é uma Banda Desenhada escrita por  João Ramalho-Santos e desenhada por André Caetano.

Para além do livro o projeto implicou a produção de outros conteúdos, como vídeos, crónicas e  entrevistas.

O livro é gratuito, bastando adquirir o jornal, o que é um preço simpático nos tempos que correm.

Autor, editor, procrastinador profissional e irresponsável mor.

Deixar uma resposta

Show Buttons
Hide Buttons