Apontamentos de Terror, de Pepedelrey

Apontamentos de Terror
Mais do que a visão clássica horror, o que está em evidência neste Apontamentos de Terror é a capacidade de arriscar formas inquietantes de narrativa gráfica.

A cidade do Porto é palco de quatro apontamentos, capturados pelo lápis de Pepedelrey. Quatro momentos de arrepio, entre o sobrenatural clássico, criaturas mortíferas e a maldade que se oculta no coração humano. Neste livro, um dos mais clássicos nomes da BD contemporânea nacional vira-se para o terror enquanto género narrativo, sustentando um elevado nível de experimentalismo gráfico.

Num farol com vista para a Foz, uma criatura demoníaca é invocada. Numa casa de um bairro de vivendas, as paredes ocultam uma violenta criatura, da qual só vemos um dente partido e a sua capacidade para eviscerar repentinamente as vítimas. Nos Jardins do Palácio de Cristal, a bucólica atividade de atirar migalhas às carpas do lago torna-se sangrenta quando estas decidem alimentar-se de carne humana. Junto à igreja românica de Cedofeita, uma simpática velhinha vai cativando gaivotas com grãos de milho, até ser capaz de agarrar e degolar uma.

Há uma curiosa constância de lugar nas quatro histórias deste Apontamento de Terror. A narrativa visual está organizada em pranchas, que repetem sempre a mesma imagem de fundo, o cenário circundante ao ponto fulcral da história. Esta é contada numa única vinheta por prancha, que ao longo das páginas vai criar uma sequência de leitura apenas iconográfica, sem palavras que nos direcionem a sua compreensão. O imobilismo do local contrasta com a dinâmica negra do apontamento.

É uma forma diferente, propositadamente inquietante, de contar histórias arrepiantes. Em si, não são especialmente assustadoras, embora tenham uma boa dose de humor negro. A riqueza deste volume está na forma iconográfica com que aborda a banda desenhada, experimentando formas pouco usuais de estruturar a narrativa visual.

6 Argumento

8 Planificação

6 Termática

8 Desenho

6 Arte-Final

6 Cor

5 Legendagem

4 Produção

Mais do que a visão clássica horror, o que está em evidência neste Apontamentos de Terror é a capacidade de arriscar formas inquietantes de narrativa gráfica.

6.1
Tags from the story
,
Written By
More from Artur Coelho

Apontamentos de Terror, de Pepedelrey

Mais do que a visão clássica horror, o que está em evidência...
Read More

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *