Abatidos suspeitos do ataque ao Charlie Hebdo

Depois de uma perseguição policial e de se terem barricado numa tipografia em Drammartin-en-Goële, a 42 km de Paris, a caça ao homem terminou com a morte dos imãos Kouachi. Os suspeitos foram neutralizados por um apertado cerco policial quando deixavam o edifício a tiros de Kalashnikov na direcção da polícia. O refém foi libertado.
Said e Charif Kouachi são suspeitos de, na quarta-feira, terem atacado o jornal satírico Charlie Hebdo e terem feito 12 mortos.

Foi um final rápido para três dias de choque e comoção em França e de uma enorme operação antiterrorismo que juntou 88 mil agentes, que começou com o ataque no Charlie Hebdo na quarta-feira e que se complicou com um segundo ataque, na manhã de quinta-feira, que deixou uma agente da polícia morta e um funcionário municipal ferido. O próprio Presidente francês, François Hollande, disse numa conferência de imprensa que “a França está em choque por os autores ainda não terem sido detidos”. “E falo-vos quando está em curso uma operação.”

Fonte: Público / Foto: JOEL SAGET/AFP

Informação adicional: CNN / Guardian.

Tags from the story
Written By
More from Bruno Campos

Um pequeno balanço de 2017

Terminou um ano que foi pelo menos, aparentemente, um bom ano para...
Read More

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *