A Nova Vida do CPBD

Na sequência da inauguração das novas instalações cedidas pela Câmara Municipal da Amadora, situadas no número 52-A da Avenida do Brasil, na Falagueira, onde antes funcionava o Centro Nacional de Banda Desenhada e Imagem, o Clube Português de Banda Desenhada realizou uma assembleia geral no passado dia 14, tendo aprovado (por unanimidade) a mudança da sua sede para estas novas instalações, e a programação para o período que decorrerá até 31 de Dezembro de 2016, e que marca, verdadeiramente, este novo ciclo da atividade desta importante associação que no próximo mês de Junho completa 40 anos de existência.

Parte desta programação, centrada na cidade da Amadora, será objeto de contrato-programa a celebrar com o Município, e integra a realização de exposições (Quim e Manecas, José de Lemos, O Mosquito, Eça de Queiroz na Banda Desenhada, Alexandre Herculano na Banda Desenhada, 40 anos de CPBD, ABCzinho), encontros com autores, palestras, workshops, feiras de fanzines e revistas, e sessões de desenho ao vivo.

Para além desta programação a incluir no contrato a celebrar com a Amadora, o Clube pensa realizar concursos, um curso vocacionado para professores, ações de ocupação dos tempos livres, ações junto das escolas, outras exposições, e começar a formar uma pequena biblioteca que reforce a identidade da nova sede.

Procura-se uma atividade abrangente, que inclua todas as formas de banda desenhada (das tiras dos jornais aos comics, das novelas gráficas ao mangá, da edição independente ao mais comercial dos títulos), e que inclua todas as pessoas que têm alguma ligação à banda desenhada: autores (de todos os géneros de BD), leitores (de todas as idades), editores, livreiros, divulgadores, investigadores, curiosos, simpatizantes.

Em última análise, pretende-se um novo olhar sobre a banda desenhada em Portugal, que contribua para o seu reconhecimento e valorização, de forma participada e em todos os sentidos, tal como a leitura de uma página de BD.

O primeiro passo, que é a inscrição como sócio, custa dois euros por mês, com vantagens claramente superiores a esta quotização simbólica. Está feita a publicidade. Para mais informações, recomendo a página do Facebook do Clube: https://www.facebook.com/clubeportuguesbandadesenhada/

Tendo sido eleito como presidente da direção no passado mês de setembro, e sendo que antes disso nunca tinha sido sócio do Clube, devo dizer que encontrei no CPBD um espírito de união em torno da banda desenhada que julgava já não existir no panorama português, que é hoje muito caraterizado por pequenas aldeias em que cada um protege a sua (sempre a olhar para o que se passa na do vizinho) sem qualquer visão ou preocupação de conjunto. A grande excepção que eu conhecia, que é o Festival Internacional de Banda Desenhada de Beja, surge agora muito bem acompanhado, por uma associação com um historial importantíssimo no que respeita à banda desenhada em Portugal, e agora com sede na Amadora.

O novo ciclo que agora começa não será certamente tão importante quanto o ciclo inicial da história do clube, em que este organizou as primeiras exposições, feiras e festivais de BD em Portugal, ou instituiu os primeiros prémios de BD no nosso país, mas pode ser um ciclo igualmente histórico se forem alcançados alguns dos objetivos traçados, e considerando também o significativo apoio da cidade da Amadora.

Tags from the story
,
Written By
More from Pedro Mota

O prémio do Cabetula

Em Angola, no passado dia 10 de Novembro, o Núcleo de Jovens...
Read More

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *