A Comic Con de Matosinhos, Portugal

Foi anunciada no início de Fevereiro a data da primeira Comic Con Portugal, que terá lugar na Exponor, entre 5 e 7 de Dezembro deste ano. Rapidamente se levantou um enorme burburinho entre os fãs que frequentam este género de eventos.

Existiam dúvidas sobre quem estaria por trás da Comic Con Portugal; que tipo de palestras e atracções se iriam encontrar; se estaria de alguma forma ligada Comic-Con de San Diego, foram estas algumas das questões que Ana Isabel Silva, responsável pelo departamento de Marketing da organização, respondeu em entrevista ao blogue Leituras de BD, reiterando a parca informação que já tinha sido divulgada em outros locais, como na Eurogamer.

03

A CITY – Conventions In The Yard é, afinal, a ambiciosa empresa que quer juntar, em três dias, cerca de 20 mil participantes na Exponor – Feira Internacional do Porto e que, actualmente, foca-se apenas na organização deste evento em particular. Paulo Rocha Cardoso, empresário de Braga (Thinking Gold, Grupo Imperial) é co-fundador e General Manager da empresa, que conta com os esforços de uma equipa de “CITYzens”: Pedro Cardoso à frente do Operations Management, Paulo Silva como Sales Coordinator e Artist Registration, entre outros (a título de curiosidade, Miguel Bello, vocalista dos Lulla Bye, é o responsável pelo Media, Celebrity and Panel Management).

Apesar de quase partilharem o nome, apenas distinguido por um hífen (e vá, a indicação geográfica…), a Comic Con Portugal não está, de forma alguma, vinculada à organização DA Comic-Con, a International de San Diego – que, como explica Ana Isabel, “é responsável por ‘apenas’ mais dois eventos (ambos em território americano): o WonderCon e APE – Alternate Press Expo”, não estando assim ligada a “outras organizações no resto do mundo, nomeadamente a Comic Con France, MCM London Comic Con, entre muitas outras”.

Quando confrontados com a possibilidade de existir publicidade enganosa ou eventual confusão com os nomes, a CITY sublinha “que existem muitas outras que adoptam o seu conceito temático do evento, com a sua própria denominação” e que a Comic Con portuguesa seguirá os mesmos moldes de evento da quase-homónima norte-americana. [pullquote align=”right”] A Comic-Con International de San Diego é responsável por ‘apenas’ mais dois eventos (ambos em território americano): o WonderCon e APE – Alternate Press Expo[/pullquote]Ana Isabel, sem adiantar muitos pormenores, assegura que estão a haver “negociações avançadas com os representantes de grandes nomes nacionais e internacionais” da cultura pop, “evidenciado os nomes internacionais (…) reconhecidos do público, mas também reforçando e promovendo o mercado nacional”.

Outra das polémicas que tem surgido nas redes sociais acerca da Comic Con Portugal é o facto de estar a ser apresentada como um evento que “chega pela primeira vez a Portugal”. Ana Isabel explica que, “de facto, existem e existiram diversos eventos em Portugal [como o Anicomics, o AmadoraBD ou o Festival de BD de Beja, para citar alguns], todos de grande qualidade no tema específico em que se focam, como a BD, e o Anime/Manga. No entanto, a Comic Con é um evento, pela sua dimensão e abrangência que ultrapassa a temática que esteve na sua origem (BD), tendo-se tornado num evento de cultura pop, onde o cinema, a televisão, os jogos, as app’s, RPG entre outros, ganharam uma dimensão considerável”.

Contudo esta não é a primeira tentativa de realizar uma Comic Con no Porto, no ano transacto realizou-se a primeira (e única) Central Comics-Con, um “evento de entretenimento: animação, jogos, banda desenhada, música, cinema e TV”, organizado pelos responsáveis do Anigamix. Portusaki e outros eventos. Ambos os eventos partilham a “filosofia Comic Con” (e denominação), tendo sido Hugo Jesus, responsável pelo site Central Comics e um dos organizadores da Central Comics-Con, confundido como parte da organização da Comic Con Portugal.

Essa “confusão” motivou um esclarecimento de Hugo Jesus da página de Facebook Comic-Con (página de fãs – Central Comics):

“Peço desculpa se levei em erro anteriores comentários meus, mas quero esclarecer que não sou o organizador do evento, nem pertenço à organização, o meu único papel neste evento é como parceiro do portal Central Comics e expositor, coloquei alguns comentários pessoais onde fui mal interpretado”.

A confusão que pode ter sido gerada pelo comentário de Hugo Jesus onde afirmava: “Eu faço parte da organização do Comic-Con Portugal, logo o Central Comics-Con não irá ter mais lugar”.

Estes comunicados foram realizados através da página “Comic-Con (página de fãs – Central Comics)”, que é não é uma página de fãs convencional, é uma página de evento cuja denominação foi mudando ao longo dos tempos tendo nomes como Comic-Con Portugal 2014 (página do Central Comics) e começando como sendo a página do evento Central Comics-Con, hosted por Hugo Jesus, Leonardo Teixeira Shini e António Carlos Soares.

Screenshot_1

A escolha da data de realização do evento, início de Dezembro, foi motivada pela proximidade do início do novo ano – que é sempre data de novos lançamentos e estreias, caso da primeira parte de The Hunger Games: Mockingjay e de Star Wars Episode VII nos cinemas. [pullquote align=”left”]A ambiciosa empresa quer juntar, em três dias, cerca de 20 mil participantes na Exponor. [/pullquote]Já o local da realização da primeira Comic Con Portugal recaiu em Matosinhos, concelho onde está sediada a City, porque “A EXPONOR reúne todas as condições pretendidas e detém uma reputação de grande solidez”, tal como “a proximidade à Galiza, ao Aeroporto Francisco Sá Carneiro e aos voos Low-Cost também foram determinantes”. De salientar que a Exponor é o maior centro de feiras e congressos do país, com cerca de 60 mil metros quadrados de área coberta. Recebeu, no passado, eventos como a Academia Wikipédia e diversas feiras bienais de áreas tão diferentes como a saúde, a construção civil ou a decoração.

Embora Dezembro pareça ainda longínquo, já é possível efectuar as inscrições online para “Artist Alley” e Exibihitors/Expositores”. Ou seja, quem quiser participar como vendedor na área de “Exibihitors/Expositores” ou, enquanto autor, com uma banca no Artists Alley, já pode realizar o pré-registo online, após o que será contactado pela organização para negociações.

Comic Con Portugal, por aquilo que pretende ser, tem o mérito, mais que não seja por tentar criar de novo um evento de BD “cultura pop” de referência no Norte do País, algo que não existe desde o desaparecimento do Salão Internacional de Banda Desenhada do Porto em 2001, um evento que trouxe a Portugal entre outros autores como Miguelanxo Prado, Dave Mckean e Peter Kuper, entre outros. As diversas tentativas que foram realizadas ao longo dos últimos anos sido eventos esporádicos e sem seguimento.

Resta-nos esperar até Dezembro para ver se as promessas se cumprem e se a Comic Con Portugal fará, então, história.

Licenciada em jornalismo, passou pelo I, gosta de escrever em blogues e não gosta de escrever sobre si. Entre os seus muitos interesses destacam-se campos tão vastos como a cultura gamer, literatura e aviação.

5 Comments

Deixar uma resposta

Show Buttons
Hide Buttons