A 3ª edição do Amor Infinito de Paulo Monteiro

Já se encontra disponível nas livrarias a 3º edição, portuguesa, de “O Amor Infinito Que te Tenho e Outras Histórias” de Paulo Monteiro, publicado pela Polvo.

Capa_Amor_Infinito_3_ed
Edição: Polvo
Autor: Paulo Monteiro
Data: Maio 2014 (3ª edição)
Formato: 165 x 225 mm
Páginas: 64
PVP: 8,40 €

Editado originalmente em 2010, este é o primeiro livro de banda desenhada de Paulo Monteiro. Reúne um conjunto de histórias curtas efectuadas entre 2005 e 2010 e “mostra de forma clara e concisa o percurso de maturação de um autor que vive intensamente as histórias que conta e desenha”.

“O Amor Infinito” é o álbum mais traduzido de sempre da BD portuguesa. Em Espanha, onde é editado pela Édiciones de Ponent, viu recentemente publicada a sua 2º edição. A edição francesa, edita pela Six Pieds Sous Terre, venceu em 2013 o Prix Sheriff d’Or, em Portugal a obra já tinha sido galardoada com o prémio Melhor Álbum Nacional (AmadoraBD, 2011) e Melhor Publicação Independente (Central Comics, 2011). O álbum está também publicado no Brasil e na Polónia.

A aclamação desta obra não se ficou pela crítica nacional, ou pelo prémio, como a editora salienta no nota de impressa, realçando algumas das opinões emitadas pela crítica estrangeira.

Com uma narrativa plena de subtileza, Paulo Monteiro mostra a paleta de sentimentos que uma vida pode ter (…). – Olivier Maltret, DBD

(…) um feito incrível, revivificando a escrita do íntimo (…). É difícil fazer algo mais poderoso nesta matéria. – Mael Rannou, BoDoi

Nas suas histórias, ao mesmo tempo simples e densas, a morte ronda sempre por perto, tornando o momento presente ainda mais precioso (…) lembrando como é necessário aproveitar as nossas vidas efémeras. – Anne Claire, Les Inrocks

Dez pequenas histórias, dez poemas, dez momentos de amor ou dez maneiras de falar de si. Pouco importa, estas histórias (…) são de uma força inacreditável e atravessam-nos totalmente. – David Fournol, Une autre histoire

Paulo Monteiro conta-nos dez pequenas histórias. Algumas autobiográficas, outras fantásticas, mas sempre imbuídas de uma poesia de tirar o fôlego. – Sarah Bukow, Et ça critique!

“O Amor Infinito que te tenho” é uma daquelas histórias que podíamos sussurrar ou cantar em voz alta, com essa sensação intensa de ter redescoberto o primeiro dos sentimentos, a emoção original. – Cathia Engelbach, A chacun sa lettre

Uma obra-prima (…). Sem dúvida uma das grandes descobertas deste ano. – Jesús Jiménez, RTVE.es.

“O Amor Infinito que te tenho” é um desses títulos que vai permanecer durante muito tempo na nossa retina e na nossa memória (…).- Miguel A. Perez-Gomez, Entrecomics

A 3ª edição inclui, como novidade, um álbum de fotografias do autor.

Written By
More from Bruno Campos

Fernando Relvas na Primeira Pessoa

O falecimento de um autor não significa o desaparecimento das suas ideias...
Read More

1 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *