Os Pesadelos de Ramsay e a BD

Na última semana, atrasei-me na entrega desta crónica. Durante o fim de semana, um inspirador zapping levou-me até ao programa Os Pesadelos de Ramsay, e percebi que me tinha atrasado por uma boa razão: agora, podia escrever sobre o que tinha visto.

O programa apresentava um famoso restaurante local em que os proprietários acabaram por afastar a comunidade. Apareciam então clientes a queixar-se da comida que lhes era servida, e o narrador explicava que os proprietários tinham negligenciado a ementa e os fiéis empregados. Para cativar quem estava a assistir ao programa, o narrador anunciava que o Chef Ramsay ia enfrentar os proprietários mais irrazoáveis que alguma vez conhecera.

Percebia-se então que o restaurante era muito famoso e muito frequentado, mas as coisas estavam a mudar para pior desde que tinha sido adquirido por um casal (chamemos-lhes a proprietária e o gestor, pois ajuda à crónica). O gestor tinha introduzido uma série de medidas (produtos de pior qualidade, comida congelada, etc.) que tinham acabado por afastar muitos dos clientes habituais.

Foi então que a proprietária, sentindo que as coisas estavam a ir mal no plano financeiro, chamou o Chef Gordon Ramsay.

Para quem não sabe, Gordon Ramsay é um chef de cozinha britânico, ligado a diversos restaurantes espalhados pelo mundo, que tem protagonizado diversos programas televisivos, em que, por regra, trata com grande rigidez os outros participantes. Podem saber mais em https://www.gordonramsay.com/.

Na sua operação de salvamento, o Chef começou por falar com os empregados, e estes confessaram-lhe que apenas estavam à espera do dia em que o restaurante fechasse, para procurar outro sítio, e que apenas não tinham saído ainda, porque tinham ligações sentimentais com aquele lugar (incluindo muitas boas recordações).

Depois de reunir com os empregados, o Chef Ramsay reuniu com os proprietários. Estranhamente, para o gestor, estavam a fazer tudo bem feito. Nem sequer havia consciência de que a equipa pudesse estar insatisfeita.

O Chef promoveu então uma reunião conjunta, em que os empregados fizeram sentir a sua insatisfação ao casal. Um dos cozinheiros disse ao gestor que achava que ele não fazia ideia de como se gere um restaurante, e que tinha afastado da realidade daquele restaurante “a verdadeira essência de ter um restaurante a servir boa comida, a satisfazer os clientes e a ter empregados realizados”. Uma empregada queixou-se de que, apesar de transmitir diariamente as reclamações dos clientes, não sentia qualquer efeito prático.

O casal lá tomou consciência de que algo estava a ir mal para além da vertente financeira (a habitual rigidez do Chef ajudou), e que era esse mal que causava os problemas financeiros. Foi com a participação de todos (e mantendo a mesmíssima equipa) que o Chef Ramsay transformou aquele restaurante, devolvendo-lhe as condições para voltar a ser um sítio de referência. Os cozinheiros passaram a fazer o que sempre tinham pretendido fazer, mas que o gestor não permitia.

E quando o espaço foi remodelado, a proprietária virou-se para o Chefe Ramsay satisfeita e exclamou: “Você descobriu a nossa identidade!”

Pois é. No mundo da restauração, tudo acaba bem após a intervenção do Chef Ramsay. Não sei como é no mundo da BD, mas se o Chef Ramsay passar pela Amadora no período em que decorre o festival internacional de banda desenhada, ofereço-lhe um bilhete.

Tags from the story
Written By
More from Pedro Mota

O prémio do Cabetula

Em Angola, no passado dia 10 de Novembro, o Núcleo de Jovens...
Read More

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *